25 de janeiro de 2017

Afinal, qual é a melhor especialidade médica?


Uma questão onipresente durante a graduação de todos os estudantes de medicina é qual especialidade médica iremos escolher após o fim da graduação. Existem 1001 caminhos que um médico pode escolher e cursar uma especialização é um deles. Sabemos que um médico sem especialização é visto como profissional de baixo status entre pacientes e colegas. Longe desse artigo discutir se você deve fazer essa escolha ou não, mas considero que vale a pena escolher um bom nicho para atuar no mercado.

Ser ou não Ser? Eis a questão.
O problema fundamental na resposta dessa questão é a ausência de dados e evidências de qualidade para que façamos essa escolha. Logo, a maioria dos acadêmicos escolhe de forma “intuitiva”, baseada em gosto pessoal. Assim como escolher sua graduação com base em “afinidades” pode se revelar (e provavelmente se revelará) uma péssima decisão, me parece que o mesmo vale para sua especialização. Aqui trabalharemos com a necessidade imperativa de fazermos uma boa escolha. Trabalharemos com base nos princípios da “Medicina Baseada em Evidências”.

Portanto, sem mais delongas, vamos dar início ao Artigo.


Critérios de escolha e julgamento

Assim como na elaboração de um paper, precisamos estabelecer critérios objetivos e universais para que possamos comparar o resultado dos nossos estudos. Diferentes pessoas têm diferentes critérios e aqui vamos generalizar aqueles que valem para o desejo da maioria.
Ao escolher uma especialidade médica, devemos levar em consideração os seguintes critérios:

1.    A remuneração que você irá obter com a especialidade;
2.   A qualidade de vida que a especialidade te proporciona, ou seja, disponibilidade de tempo, intensidade do trabalho, chamadas de pacientes fora do horário comercial, processos judiciais e pacientes que complicam;
3.    A prática cotidiana da especialidade e o significado que ela gera para você.

Agora, um panorama da formação médica no Brasil

Como já foi largamente discutido aqui na Blogosfera, nós sabemos que a graduação em Medicina é o último bastião de ascensão social garantida para todos aqueles que acreditam no mito do ensino superior. Garantia de rendimentos superiores a 15 salários mínimos/mês logo após a conclusão do curso fazem brilhar os olhos de qualquer Chimpa brasiliensis, a espécie a que pertence o brasileiro médio. Até pouco tempo, o povão não tinha lugar no curso de Medicina. As notas de corte para as Universidades Públicas eram muito altas (continuam sendo) e as vagas em Uniesquinas custavam caro e não havia como um Chimpa pagar o preço. Entretanto, o governo Dilma Rousseff vendo essa situação considerou nossa classe como um reduto da cultura burguesa elitista corporativista e resolveu declarar guerra.
Saímos vitoriosos dessa guerra quando a Associação Médica Brasileira obteve uma liminar que impedia a posse do ex-presidente Lula como Ministro da Casa Civil. Dali em diante foi o fim declarado da era PT e o processo de impeachment da Presidente foi concluído. Entretanto, não saímos dessa guerra sem sequelas. A principal sequela foi a ampliação do número de vagas de graduação em Medicina pela lei do programa Mais Médicos. Isso permitiu a criação de quase 20.000 novas vagas em Uniesquinas espalhadas pelo país e concentradas sobretudo na Região Sudeste1.






A desvalorização do Médico Generalista

Essa situação veio para ratificar de vez um fenômeno que já acontece em todos os outros países da América Latina: a perda de valor do Médico Generalista. A tendência clara em todo o mundo é que não será vantajoso atuar como médico generalista. Isto ocorre pelos seguintes motivos: (1) em países onde há manipulação do Estado sobre a formação médica sempre há uma tendência ao aumento da oferta de Generalistas e Médicos de Família e Comunidade como forma de injetar mão de obra nos Sistemas Públicos de Saúde.
Por sermos velhos conhecidos da Lei da Demanda e Oferta, sabemos que quando a Oferta aumenta mais que a Demanda os preços caem. É por isso que, como veremos adiante, esses médicos tem os menores ganhos.
Agora, em um livre mercado o Generalista tende a não existir. Por quê? Vejamos os motivos. Um sistema econômico não regulado tem forte tendência para o fenômeno de Divisão do Trabalho. Quanto mais uma economia progride, mais o trabalho se torna especializado. É por isso que, na Medicina privada, ninguém procura mais o Generalista. Isso já faz parte da cultura. Quem tem dor nas costas, liga para o plano e procura seu Ortopedista. Quem acha que tem algum problema hormonal vai direto no Endocrinologista e assim por diante.
Isso significa que demanda espontânea só tem ocorrido para Especialistas e é por isso que já quase não existem consultórios de “Clínicos Gerais” pela cidade.

Enfim, o cenário é claro. Em uma economia centralizada, ser médico Generalista é ser dependente do Estado e, portanto, estar sujeito a pagamentos abaixo da média, condições degradantes de trabalho e, ocasionalmente, calote no pagamento. Em uma economia livre, não existe espaço para o Generalista. Vá se especializar em algo.

A enorme pressão social para ser Especialista

Já falamos, no começo do artigo, que ser médico generalista é visto como sinal de baixo status entre pacientes e colegas. Quando eu digo isso, na verdade, eu estou sendo eufemístico. O que realmente acontece é seus colegas te veem como BURRO e rola sim um certo nível de “segregação”. Nós sabemos muito bem que essa pressão ocorre. Assim como na vida em sociedade, os médicos não suportam serem vistos como inferiores por seus pares e começam a fazer várias cagadas na sua vida para garantir esse status.
Atualmente, 59,1% dos médicos brasileiros são especialistas. No Brasil, em 2015, haviam 419 mil médicos registrados exercendo a profissão. Entre os médicos com 30-49 anos de idade, o percentual de especialistas está em torno de 75%.
Um ser humano comum, para impressionar seu grupo, compra carros, relógios, joias e outros produtos de consumo por meio de endividamento para sinalizar aos seus pares que está bem de vida. Já o jovem estudante de graduação adquire uma dívida brutal em curso preparatórios de ensino médico e vai pra qualquer especialidade em que ele consiga ser aprovado em qualquer instituição (pulgueiro) que ele consiga passar.


Pé sujo do SUS. Seu futuro pulgueiro local de trabalho caso você faça a escolha errada.

Então, você já sabe, assim como devemos deixar de lado a pressão da sociedade na gestão da nossa vida financeira também devemos ignorar os apelos idiotas dos nossos colegas. Isso nos leva a escolher mal. Devemos, portanto, ser os mais inteligentes na escolha.
A grande vantagem é que não precisamos ter pressa porque ainda é possível ganhar bons salários no exercício Generalista da profissão.

As Especialidades

Agora estamos chegando ao que interessa. No Brasil até 2015 existiam 53 especialidades médicas reconhecidas. Elas vão desde as tradicionais como Cardiologia, Pediatria e Oftalmologia até as pouco conhecidas como Medicina de Tráfego e Medicina Física até as que você duvida que são Medicina, como no caso da Homeopatia1.

Posição
Especialidade
Nº de títulos
Percentual
1
Clínica Médica
35.060
10,66%
2
Pediatria
34.637
10,53%
3
Cirurgia Geral
29.200
8,88%
4
Ginecologia e Obstetrícia
28.280
8,60%
5
Anestesiologia
20.898
6,35%
6
Cardiologia
13.420
4,08%
7
Medicina de Trabalho
13.343
4,06%
8
Ortopedia e Traumatologia
13.147
4,00%
9
Oftalmologia
11.763
3,58%
10
Radiologia e Diagnóstico por Imagem
9.672
2,94%
11
Psiquiatria
9.010
2,74%
12
Dermatologia
6.883
2,09%
13
Otorrinolaringologia
5.703
1,73%
14
Cirurgia Plástica
5.631
1,71%
15
Medicina Intensiva
5.112
1,55%
16
Urologia
4.791
1,46%
17
Endocrinologia e Metabologia
4.396
1,34%
18
Gastroenterologia
4.375
1,33%
19
Neurologia
4.362
1,33%
20
Medicina de Família e Comunidade
4.022
1,22%
21
Nefrologia
3.813
1,16%
22
Medicina de Tráfego
3.612
1,10%
23
Cirurgia Vascular
3.541
1,08%
24
Cancerologia
3.419
1,04%
25
Pneumologia
3.253
0,99%
26
Infectologia
3.229
0,98%
27
Acupuntura
3.193
0,97%
28
Patologia
3.162
0,96%
29
Neurocirurgia
2.875
0,87%
30
Endoscopia
2.631
0,80%
31
Homeopatia
2.595
0,79%
32
Cirurgia do Aparelho Digestivo
2.352
0,71%
33
Hematologia e Hemoterapia
2.348
0,71%
34
Cirurgia Cardiovascular
2.220
0,67%
35
Reumatologia
2.053
0,62%
36
Mastologia
1.813
0,55%
37
Medicina Preventiva e Social
1.790
0,54%
38
Coloproctologia
1.719
0,52%
39
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial
1.699
0,52%
40
Angiologia
1.637
0,50%
41
Nutrologia
1.536
0,47%
42
Alergia e Imunologia
1.465
0,45%
43
Geriatria
1.405
0,43%
44
Cirurgia Pediátrica
1.288
0,39%
45
Cirurgia de Cabeça e Pescoço
929
0,28%
46
Cirurgia Torácica
913
0,28%
47
Medicina Legal e Perícia Médica
900
0,27%
48
Medicina Física e Reabilitação
895
0,27%
49
Medicina Nuclear
792
0,24%
50
Medicina Esportiva
783
0,24%
51
Radioterapia
619
0,19%
52
Cirurgia da Mão
585
0,18%
53
Genética Médica
241
0,07%

TOTAL
329.010
100,00%


Como você pode contar pela tabela, as 6 primeiras especialidades concentram praticamente 50% dos especialistas. Apenas nessa primeira observação podemos refutar a acusação que os médicos se preocupam apenas em ganhar dinheiro. As mais populares são justamente aquelas consideradas pouco rentáveis financeiramente, como Pediatria, GO, Clínica Médica e Cirurgia Geral. Por sua vez, essas são as especialidades com as quais mais se tem contato durante a graduação, o que indica que as escolhas estão sendo feitas com base na experiência pessoal dos estudantes.
Talvez você discorde do que eu vou falar, mas pare para observar a realidade numa Faculdade de Medicina e perceba. Como nossos Professores são, em sua maioria, oriundos da Clínica Médica são eles que servem de modelo para os novatos. Como não se fala de dinheiro na Faculdade de Medicina, o critério de julgamento para o sucesso é quem sabe mais Medicina. É óbvio que a galera da Clínica Médica ganha essa disputa com facilidade. Por isso, os melhores alunos da Graduação não escolhem a especialidade que dá maior retorno financeiro. Eles escolhem Clínica Médica, Pediatria, GO etc. simplesmente porque os tutores que eles admiram vem dessas áreas. Daí eles passam o restam da vida reclamando que o Estado paga mal e veem os colegas medianos em melhores especialidades ganhando mais do que eles. Como todo nerd, eles tem fé que boas notas e ganhos financeiros constituem uma função linear, o que não é bem verdade.

Afinal, quanto ganha cada especialista?

De longe, é muito difícil obter esses dados para o Brasil. O que temos é somente a pesquisa do Mário Sheffer mostrando que 1/3 dos médicos ganhava mais de 20 salários mínimos em 2015. Isso significa que ainda não estamos morrendo de fome como outras profissões por aí.

A verdade é que no Brasil não se fala sobre ganhos porque (1) isso constitui um risco para a segurança da sua vida (pessoas matam por dinheiro todos os dias no Brasil), (2) o Estado persegue com impostos quem ganha muito e por isso todos subdeclaram a sua renda e (3) é tabu falar de ganhar dinheiro devido a nossa tradição católica.

Sendo assim, jovens Acades, as únicas fontes que temos para nos apoiar são os dados dos USA. Isso aqui vai ser um ponto de controvérsia, mas teremos que extrapolar os dados deles para a realidade brasileira. Vou adiantando que, apesar de não chegamos nem perto de ganhos tão altos, as diferenças entre as especialidades são bem semelhantes e por isso é perfeitamente factível raciocinar em cima deles.

Nos EUA existem duas pesquisas anuais que permitem saber os salários dos médicos, a pesquisa do Medscape (http://www.medscape.com/features/slideshow/compensation/2016/public/overview) e uma pesquisa mais detalhada que é a MGMA DataDive Healthcare Provider Compensation.


Pesquisa do MedScape

O outro ponto é que não adianta saber somente quanto o especialista ganha porque eles trabalham quantidades de horas diferentes. Por isso, para fins de avaliar quantas horas semanais trabalha cada especialista vou usar o paper Physician Wages Across Specialties publicado em 2010 no JAMA Internal Medicine.


Desse ponto em diante não irei trabalhar com dados de subespecialidades menores, isto é, aquelas que tem pré-requisito pois a leitura ficaria muito cansativa. Portanto vamos aos dados.

Remuneração das especialidades e horas trabalhadas

* Alguns dados foram extrapolados
* Salários de acordo com o MGMA DataDive

Especialidade
Ganho anual USA
Horas Semanais
Ganho por Hora
Neurocirurgia
778.247
58
258,0
Dermatologia
446.699
45
190,9
Ortopedia
537.420
61
169,4
Radiologia
442.913
52
163,8
Cardiologia
499.687
60
160,2
Hemato/Oncologia
445.367
55
155,7
Patologia
395.980
50
152,3
Cirurgia Plástica
425.549
54
151,5
Gastroenterologia
449.175
57
151,5
Anestesiologia
451.051
58
149,6
Otorrino
408.822
55
142,9
Cirurgia Geral
436.597
61
137,6
Medicina de Emergência
340.701
48
136,5
Oftalmologia
368.819
52
136,4
Urologia
393.281
58
130,4
Pneumologia
410.724
61
129,5
Alergia e Imunologia
307.730
49
120,8
Cirurgia Vascular
418.988
68
118,5
Psiquiatria
264.705
45
113,1
Neurologia
276.425
52
102,2
Gineco/Obstetrícia
299.453
57
101,0
Medicina Intensiva
336.136
68
95,1
Endocrinologia
236.679
48
94,8
Pediatria
220.052
45
94,0
Nefrologia
271.419
58
90,0
Clínica Médica
212.661
48
85,2
Infectologia
227.171
52
84,0
Reumatologia
222.397
53
80,7
Medicina de Família
207.780
52
76,8

Como é possível ver acima, algumas especialidades ganham 3x mais do que outras nos EUA. Óbvio que esses ganhos não fazem parte da realidade brasileira, em especial no caso da Neurocirurgia. Devido ao baixo desenvolvimento econômico do país e ao tamanho do SUS, poucos médicos são verdadeiramente profissionais liberais. Isso significa que raramente alguém chega nas cifras de milhões por anos. A maioria de nós vive com um emprego na rede privada e outro na rede particular.

Resultado final: as melhores especialidades no julgamento do Acadêmico Investidor



1º Dermatologia: uma especialidade reconhecida por seu estilo tranquilo. Dominada por mulheres quase que exclusivamente. Um dos mais altos ganhos salariais, baixíssimo número de intercorrências e agenda tranquila.





2º Radiologia:  especialidade pouco conhecida durante a graduação, porém bastante concorrida nas provas de residência. Envolve uma rotina previsível, trabalho assalariado e sem estresse físico. Trabalho realizado em meio a tecnologias que auxiliam o profissional.


3º Ortopedia: especialidade de alta demanda. Tem uma indústria forte de equipamentos médicos por trás. Os ganhos estão entre os mais elevados, porém as rotinas são longas e é uma das poucas especialidades em que a cultura do processo judicial está começando a pegar.

Considerações finais

Por hoje é só, pessoal!

Caso você tenha algum comentário a fazer, deixe na caixa de comentários abaixo que eu te respondo.

Atenciosamente,

O Acadêmico Investidor.

Referências:


  1. Scheffer, Mario. Demografia Médica no Brasil 2015
  2. WIDOCTOR. http://widoctor.com.br/as-melhores-especialidades-do-momento/
  3. Medscape. http://www.medscape.com/features/slideshow/compensation/2016/public/overview



42 comentários:

  1. Muito interessante Acades!
    Informações que me interessam bastante, já que meu intuito é ingressar no curso de medicina. Apesar das dificuldades para nós velhos e medianos, rs, tenho ambição e resiliência.
    Sucesso pra ti, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita gente na faixa dos 35-40 anos está fazendo Medicina.

      Pode chegar que você é sempre bem-vindo!

      Excluir
    2. Caralho, interessante sua análise, acades, tipo, eu não pensava por esse ponto.

      Sou aluno de medicina do primeiro ano, p0 na verdade. Cê tá em que período? Vi que deixa suas infos em privado, então se quiser colar lá no hangouts, meu email é letorres.leo@gmail.com

      Lorde das moedas, não sabia que você pretendia entrar em medicina. Cara, andei lendo, só hoje tanto disse me disse sobre medicina, lá no seumadrugainvestimentos, widoctor, yahoo, disqus e etc. Se eu achar teu email, vou te add por convite lá no blog.

      Excluir
  2. Bom post! Estou no 11 período de medicina e super em dúvida no que fazer de especialidade!

    ResponderExcluir
  3. Parabens
    muito bom texto

    A realidade da medicina deve mudar em pouco tempo, logo vai acontecer como direito, adm e outras. Muitas escolas de péssimo nível com foco somente em $$$ dos pais que querem um filho Dotor.
    Para o governo será otimo, muitos profissionais a preço de banana, se e bom o não e outra historia, povo se contenta apenas em passar no Dotor e conseguir um exame que na maioria das vezes não serve para nada e com um atestado na mão.

    Quanto a ganhar dinheiro vai estar mais atrelado a quanto o medico esta disposto a se corromper do que a especialidade.
    - ganho com uso de materiais - próteses ortopédicas, marca passos, stents, pinças, etc e etc
    - ganho com prescrições de medicamentos - industria farmacêutica e ate a farmácia de manipulação da esquina
    - ganho com indicações de procedimento desnecessários
    - ganho com solicitação de exames
    - medico se setor publico que não cumpre a carga horária e sai para atender no privado.
    - ou medico do setor publico que fica no serviço mas não faz nada ou vai para dormir.

    Médico é que nem sal: branco, barato e se encontra em qualquer esquina.
    frase dita ja ha um tempo.

    ResponderExcluir
  4. A realidade já é essa:

    Os médicos generalistas não sabem muita Medicina e vão trabalhar só pra ganhar dimheiro. Muito atendimento lixo em emergências. Não sabem nem primeiros socorros, não sabem intubar, não sabem auscultar etc.

    Já os especialistas só sabem a área deles e se dividem entre os que fazem procedimentos e os que não fazem.

    Eles são unem em planos como a Unimed. Nesses planos os neurocirurgiões, ortopedistas, cardiologistas, otorrinos etc. superfaturam seus ganhos e quem paga são os Clínicos da Pediatria, Endócrino etc. que ganham mal pra porra e ainda são arrogantes.

    Representantes de empresas médicas pagam jantares, viagens, congressos e tudo o mais para médicos. A corrupção é generalizada.

    Eu não confio em médicos e olha que eu estou nesse barco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é essa de pediatras pagarem os neuros, não entendi?

      Acompanho o canal do Rafael freitas, e vi lá que neuros ganham 50k às vezes pra ficar de sobre aviso!

      Mas o nível de estudos é muito alto. Eu não tenho problema em trabalhar por 3k no ramo, porém quero jutnar pelos menos uns 0,5M antes de me especializar? Acha que é uma boa ideia. Sei que muita gente clinica de PSF enquanto junta um pé de meia para, enquanto faz as provas de residênica como treino.

      Então, assim, fazer uma residência de neuro, tirando 3k pra mim blz, mas lá pros trinta e cinco, quem sabe.

      Acho que vou me formar com 28, se tudo der certo. Ando passando por dificuldades enormes, não peguei bolsa não peguei auxílio. Mendonça fdp cortou a bolsa permanencia... O primeiro período vai ser o mais difícil

      Excluir
  5. Fodinha cara, ja pesquisei e eh isso mesmo. Na minha faculdade que eh uma federal voce so aprende a intubar se corre atras, na eh dado na pratica de forma sistematica as emergencias medicas como pcr, nada de bonecos, etc. To pensando em ir pra hemato oncologia que curto muito a area de leucemia acho foda tirar um paciente da quase morte. Ortopedia eh excelente e a rotina nao eh extremamente pesada feito as outras cirurgias. Dermato tb mt boa e comprando equipamentos e se rendendo a area de estetica melhor ainda. Obvio que penso na remuneracao mas tambem tem a compensacao profissional com aquilo que voce tem afinidade, mas de fato as coisas estao muito dificeis, outro dia paciente chegou reclamando no meu internato de pediatria que o neuro do plano so atendeu por uns 10 min, mas pagam uns 30 reais por paciente, a situacao eh meio insustentavel. Ou o cara se especializa ou se especiinsus. Em cardiologia a vida ta bem dificil. Ou faz eco ou faz eco porque vivier apenas dec onsulta ta muito complicado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onco também é uma das melhores. Porém exige Clínica Médica como pré-requisito e é uma subespecialidade bastante concorrida. Pra quem tem disposição eu acho uma escolha válida.

      Na minha Faculdade eu tenho acesso a disciplina de simulação, mas não são muitas horas de prática. Intubar é mais fácil no paciente do que no boneco.

      Muitas especialidades estão mal.

      Excluir
  6. Ainda nao rodei clinica medica, mas minha ausculta eh bem rudimentar vou ter que aperfeicoa la para ausculta de sopros, estertores etc. Preciso aprender a intubar pois ainda nao tive oportunidade. Listei as habilidades que preciso saber; ter bom dominio de atb. Ler bem um ecg. Ler bem uma radio. Ter uma boa semio isso inclui otima habilidade de auscultar. Saber bastante farmacologia. Saber muito bem fisiologia. E saber as condutas em geral. E alem disso as rotinas de emergencia e uti.

    ResponderExcluir
  7. Ah aqui no brasil seguiria mais os conselhos do widoctor das melhores especialidades como otorrino, dermato e etc. Neurocirurgia aqui no br o eh complicado a pessoa demora muito a se estabelecer nao sei como eh fora

    ResponderExcluir
  8. Minha irmã é nefrologista, tem um bom rendimento, mas é uma das áreas mais sofridas em temos de ver os pacientes definharem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe quanto ela tira por ano?

      Porque nefro ganhando bem só os quem sócios de clínica de diálise.

      Aqui no Hospital os residentes de Nefro abandonam fácil no 1º ano.

      Excluir
  9. como escolher a graduação? o unico bom caminho é medicina? não quero me arrepender depois por favor ajude

    - um jovem indeciso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para escolher uma boa graduação o primeiro passo é saber que Ensino Superior só vale a pena se for feito sem custos pra você e em uma instituição de qualidade.

      Na meu ponto de vista, só vale a boa e velha tríade Direito, Engenharia e Medicina.

      Excluir
    2. Gente, que opinião defasada!!!

      Excluir
  10. Será que a radio está em segundo mesmo? Conversei com uma radiologista bastante inconformada com a renda e afirmando ainda que muitos profissionais estão perdendo empregou ou necessitando complementar a renda com atividades extra.
    Li em alguns sites americanos sobre o impacto negativo que a telerradiologia teve para o rendimento da classe diminuindo o numero de postos de trabalho. Além disso o projeto Watson da IBM promete instituir a interpretação automática de exames de imagem nos próximos 15 anos. Gosto muito da área, mas tenho sérias dúvidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O futuro pode ser complicado para a Radiologia.

      É provável que software automatizem o trabalho, mas sempre haverá necessidade do Radiologista assinar os laudos.

      Não posso garantir para daqui a 15 anos, mas atualmente a situação é favorável aos Radiologistas.

      Excluir
  11. Olá, tudo bom? Conheci o blog agora. Muito bom.
    Você nos comentários diz que acredita que a Onco pode ser tb uma boa opção.
    Você poderia me dizer sua opinião sobre a Psiquiatria?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onco é uma boa opção. Demanda bastante estudo pois é bem concorrida entre a galera que já fez Clínica Médica.

      Psiquiatria é muito ruim em termos financeiros, a não ser que você já tenha bala na agulha para ser parte de alguma Instituição Pública. Se for tentar ganhar dinheiro no privado, vai ser difícil. O lado bom é que a rotina é muito tranquila e você não vai ter aquele maldito estresse que acompanha a vida da maioria dos médicos, por exemplo.

      Excluir
    2. Na sua postagem você coloca alguns dados americanos que trazem o neurocirurgião como a maior remuneração, entretanto, alega que o mesmo não é verdade no Brasil, e cita ortopedia entre as três melhores ( na sua análise final). Aqui no Brasil o neurocirurgião não ganha mais q o ortopedista pq?

      Excluir
    3. Porque os planos de saúde pagam muito baixo por uma Neurocirurgia e a maioria dos procedimentos são realizados no SUS já que o povo brasileiro não tem plano de saúde que costuma cobrir procedimentos caros e complexos.

      Excluir
  12. Bom dia. Vi o blog agora. Gostei muito. Vc comentou que Onco pode ser tb uma boa...
    Você poderia me dar sua opinião sobre a Psiquiatria?!
    Obrigadão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Psiquiatria é pra trabalhar no serviço público ou, caso você seja bom de marketing, atender a classe média alta.

      É uma especialidade de charlatães em sua maioria.

      Excluir
  13. Olá! Parabéns pela postagem! Realmente está muito difícil decidir qual especialidade seguir na atual situação da medicina no país...por isso tenho algumas perguntas. 1- Assim como você, outros analistas de especialidades médicas, indicam a dermato como uma das melhores ( financeiro, qualidade de vida), porém, vejo q a dermato está passando por uma fase difícil: hj em dia todas as outras profissões lutam pelo direito de fazer estética, e a especialidade acaba virando mais um tipo de comércio ..já q as patologias dermatológicas ( exceto câncer de pele) ocorrem em baixas frequências....Ou seja, mesmo com toda essa banalização , vc ainda acha q a dermato vai conseguir se manter como boa escolha nos próximos vinte anos?
    2- Já pensei em dermato, mas pelos motivos expostos acima, as vezes cogito onco ou hemato, pelos seguintes motivos : são especialidades terciárias , q demandam altos investimentos e q desde o rico ao pobre, todos podem precisar em.algum momento. Além disso, são especialidades realmente médicas, sem frescura...q não é "qualquer" um q "faz" ( como dermato, endócrino, psiquiatria) . Nos.comentarios vc diz q onco é uma boa especialidade,, vc diria o mesmo.em relação a hematologia?
    Obrigada

    ResponderExcluir
  14. Opa tudo bom? Acabo de conhecer o blog e o parabenizo pela iniciativa. Então queria saber sua opinião sobre o médico anestesista, há quem diga que faturam alto principalmente em cidades médias mas dizem que é um ramo que está na mira de processos judiciais. O que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anestesistas tiram uma boa grana e trabalham bastante também.

      Ainda é uma das melhores especialidades, sem dúvida. Porém o futuro é nebuloso para ela, não tento prever.

      Talvez eu acabe fazendo Anestesio também.

      Excluir
    2. Anestesiologia talvez seja a especialidade com os maiores ganhos atualmente. Porém, a rotina é pesada. Você precisa entrar em um grupo e as escalas para os mais novos são complicadas, pouquíssimas folgas. Fala-se também da possibilidade de enfermeiros exercerem a profissão, mas aqui no Brasil ainda não vejo isso com grande preocupação.

      Excluir
  15. Qual sua opinião sobre Cardiologia?
    Tb a Cardiologia intervencionista?
    O futuro é promissor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cardio é uma péssima especialidade.

      Muito estresse e pouco dinheiro.

      Excluir
  16. Oi, tudo bem?
    E a oftalmologia? Oferece realmente uma renda mais baixa do que a dermatologia? Porque eu já ouvi falar que a oftalmologia oferecia uma remuneração muito melhor no Brasil, já que as cirurgias são muito caras e cada procedimento feito na consulta é pago pelo plano de saúde (ou diretamente pelo paciente). Além disso, só o oftalmologista pode mexer no olho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oftalmo é uma enganação caso você não tenha família envolvida previamente com a especialidade.

      Custa muito muito caro ser bem-sucedido na Oftalmologia.

      Não recomendo para jovens de 1ª viagem.

      Excluir
  17. Cara, este texto sobre especialidades médicas foi simplesmente genial. De fato a realidade é essa. Faço 5º ano em uma faculdade federal e ngm nunca fala em salário. Os caras escolhem a especialidade por afinidade com a ciência, sem levar em conta grana, qualidade de vida ou o perfil do pcte, tudo pq magicamente brota dinheiro na conta bancaria todo mes...especialidades altamente tops como ortop não sao escolhidas pq..."porra, sabe como se esconde uma nota de 100 de um ortopedista? coloca no Harrison ohoho"
    ainda n escolhi minha especialidade, estou tentando prever que rumo as especialidades vão tomar, temo muito que ocorra na medicina o que ocorreu com a odonto, que há 40 anos compravam fazendas com o salário e hj não ganham nada...
    Que especialidades vc acha que tem mais chances de manter um bom rendimento após essa onda de 32K de formados/ano?? Quem vai conseguir fazer reserva de mercado???última, o q acha das especialidades clínicas que ainda resistem aos planos, tipo endocrino?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Especialidades Cirúrgicas sempre vão ter seu lugar ao Sol. Ninguém se mete em assuntos cirúrgicos.

      Anestesio tem um lobby forte e pode continuar brilhando.

      Endocrino não está resistindo aos planos de saúde. Há uma legião de Endocrinologistas dependentes de planos de saúde e ganhando R$ 50 por consulta.

      Excluir
  18. O que acha dessas especialidades tanto atual como previsão no futuro:
    Pneumologia
    Gastroenterologia
    Otorrinolaringologia
    Reumatologia
    Hematologia

    Obrigado, este POST realmente relata a verdade da situação atual, Obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
  19. cara tou nessa de prever qual a --melhor especialidade pro futuro, tou no decimo periodo indeciso sobre cirurgia cardiaca ou anestesio. Cirurgia cardiaca paga bem contudo o estresse e a previsao de "fim" da especialidade não fazem valer tanto a pena o esforço.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite. O que você teria a dizer sobre neurologia? E infectologia?

    ResponderExcluir
  21. Olá! Gostaria de saber sua opinião sobre a Infectologia.

    ResponderExcluir
  22. Cara, sou acad do 10 período. Fiz uma leitura da atual conjuntura muito parecuda com a sua. Estou indeciso entre anestesio e urologia. Acredito que a urologia ainda tenha um bom mercado mesmo tendo um número expressivo de profissionais. Acredito que as especialidades cirurgicas por mais que aumentem o número de profissionais (improvável), não haverá uma perda significativa nos seus rendimentos E existindo muitos cirurgiões a anestesio não teria um futuro obscuro, uma vez que a sociedade de anestesio ajuda muito na questão de proteger seus membros da imensa pressão que o mercado exerce. Tenho uma queda pela cirurgia plástica, Mas sou marinheiro de 1 viagem e acredito que essa especialidade vai se concentrar nas mãos de grandes empresas... Um processo que ja podemos observar em alguns locias... Ou seja é furada visto o tempo que leva para o profissional alcançar o topo. Me fala o que você acha a respeito da urologia e cirurgia plástica e anestesio. Valeu champs

    ResponderExcluir
  23. Bom dia! Estou no sexto ano de medicina e com muitas dúvidas. No momento penso em trabalhar um tempo, juntar um dinheiro, ajudar a família e me preparar para a residência (não tive condições de pagar um curso preparatório). Mas me angustia a escolha da especialidade. Por tempos pensei em psiquiatria, mas confesso que estou "desistindo aos muitos". Cogito dermatologia (o que antes não imaginava de jeito nenhum, principalmente devido a cosmiatria), qual sua opinião?

    ResponderExcluir